De Pá em riste!... Em todas as direcções...

.posts recentes

. Aqui estou, preguiçosa de...

. caso Casa Pia e afins...

. Portugal: Manta de Retalh...

. Lentidão

. ...

. A Padeira tirou umas féri...

. Saramago

. LISBOA

. ENCRUZILHADA

. JORNAL NACIONAL

.arquivos

. Outubro 2010

. Abril 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

Quarta-feira, 9 de Agosto de 2006

O Mundo guerreia-se...

...E guerrear-se-à continuamente. Faz parte da natureza humana. O «sentido de posse», a ganância, o egoísmo e a «inveja» - envenenam o homem. Esmagam-lhe o coração. Homem que, não quer ver, não quer pura e simplesmente enxergar a verdade da sua insignificância. Hoje poderá ser rei - amanhã inexorávelmente «pó».
Vem isto a propósito das guerras, das lutas intermináveis do que é «Meu»... ou «Teu». Passa-se em todo o mundo.
Começou assim, nos primórdios, com Caim e Abel. Nada a fazer.
Hoje, numa pequena praia inundada de verão e de um pacífico azul, quatro crianças (irmãos) bulhavam entre si. Tinham entre os 4 e os 7 anos. Uma delas, um rapazinho dos seus seis anos, estava positivamente furioso com a irmã que queria a sua pá. Nada de transcendente entre miúdos. Mas a «raiva» e a «imposição» impressionavam. Gritava de dedo no ar e pá em punho: - it´s Mine!... It´s Mine.. Do you hear me...?
Este «Meu» é o gerador de todas as contendas: Meu!...Teu!...
É aqui que tudo começa, levando tantas vezes ao ódio que pude observar repentinamente nos olhos daquele pequeno inglês.
É assim que a guerra se inflama. Irmão contra irmão. E vai crescendo dentro de nós. Às vezes, à conta de um pobre balde de plástico, ou, de uma pá, apenas, num pedaço de areal súbitamente transformado em «Deserto» de vida.
publicado por padeiradealjubarrota às 22:12
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De miosotis a 8 de Setembro de 2006 às 23:55
Vim deixar-te um beijo terno e mt azul pela imensa ternura q poisaste em meu espaço.
De Savonarola a 26 de Agosto de 2006 às 12:43
Belo artigo, aliando a singeleza da palavra à profundidade da ideia. Apetece-me dizer "está tudo dito!" Infelizmente, não é assim. Sendo a guerra própria da natureza humana, parece impossível que nos libertemos dela. No entanto, acho que há guerras que merecem ser travadas, como a guerra contra a desigualdade, a injustiça, a opressão. Para estas guerras, a palavra já é uma arma. E bem poderosa!
De y_lune a 26 de Agosto de 2006 às 01:13
Mt bonito o teu texto. E imensamente profundo, partindo de um exemplo tão pueril! É aí mm q tudo começa e se desenvolve...
Gostei, mt sinceramente!

Lamento o atraso em retribuir os teus olhares em meu espaço.

bom f-s! E q a Luz se faça na Humanidade.
De segundavida a 25 de Agosto de 2006 às 13:02
Bela reflexão! É bem verdade o que escreveste, parece que não há nada a fazer, mas apenas cada um de nós tentar ser menos egoísta, sem orgulho exacerbado, solidários e dar sempre o melhor em prol do nosso próximo. Falar assim é facil!!!!Um bom fim de semana.
De frf a 24 de Agosto de 2006 às 19:56
O mundo hoje vive das guerrinhas, nada se faz sem guerrinhas, as guerrinhas existem dentro e fora da politica de hoje e ai daquele que não faça as suas guerrinhas, quer melhor exemplo, o dia 25 de Abril, uma guerrinha aproveitáda por muitas mãos que hoje as utilizam para fazer as suas guerrinhas, mas que se esquecem que tambem teem o seu cantinho do céu prometido.
Por ventura já pensou na sua cabeça quantos milhões andam ai nas guerrinhas, não queira fazer uma ideia.
De curioso a 24 de Agosto de 2006 às 19:50
Partilhar é uma arte.
Duas crianças, um rapaz e uma rapariga, primos e companheiros de brincadeira. A diferença de idades alguns dias. Pano de fundo a feira, o assunto da discórdia algodão doce. O tio e pai do rapaz vê-se confrontado pelo último pedido, ambos querem algodão doce. Busca ao fundo da algibeira e o dinheiro é aparece dois euros, uma única moeda de dois euros.
- Quanto custa?
- Dois euros.
- Bem, meninos só da para um, têm que partilhar. – É contemplada a miúda com o algodão doce, pela feirante.
- Agora partilhem os dois o algodão. – Ela não se faz rogada e oferece-lhe. Ele triste não aceita e fica cabisbaixo.
O pai interroga-o pensando que estava a assistir a uma birra.
- Porque não queres partilhar.
- Porque queria ser eu a dar. – Responde o rapazito depois de muita insistência do pai.
De Carlos Afonso a 23 de Agosto de 2006 às 23:11
Olá Padeirinha, espero ke estejas bem Amiga!! Passei para deixar uma beijoka!!...Carlos.
De intemporal a 23 de Agosto de 2006 às 09:47
Escreveste pouco...........disses-te muito. Gostei da msg, parabéns! Um beijo e votos para continues a pensar sempre dessa maneira.
De frf a 21 de Agosto de 2006 às 18:13
Como dizem e bem , é a sociedade aonde se vive , nada vai mudar, nada vai ser como nós pretendiamos, estamos proibidos de sonhar, já se apoderáram dos nossos sonhos, lá diz e muito bem o amigo Ferreira é proibido sonhar com uma vida estável, temos sempre um escolho na vida que nos prende á santa paciencia desta vida.
De Nilson Barcelli a 21 de Agosto de 2006 às 16:44
Escreves mais ou não? Ainda estás de férias? Beijinhos.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
blogs SAPO

.subscrever feeds